Sunday, November 12, 2006

O dia do Mito

Por que isto - a Arte?
O que saber sobre sua "matéria", senão sobre o que o homem é capaz de fazer de si nesta relação com as matérias que manuseia durante a obra, e sobre seu contato com o imponderável?
A mente, tanto quanto a matéria plástica, não se revela sem resguardar para si algo de opaco, algo que deve permanecer a título de projetar sempre o desejo de ir além, de investir no que ainda não se vê, mas que se pressente.
Do que se disse até aqui, sabemos nós, e coloco-me agora como outro que lê a si, uma história de artista, uma visão acerca de si que elege o que considera relevante para contextualizar sua trajetória nas Artes, mas subitamente, com este deslocamento observamos um salto no abismo do inefável, que tem uma ponte sobre si, ligando um lado, o da pergunta, ao outro, o da resposta, esta ponte chamada matéria.
Matéria que se multiplica em significados segundo a ordem que lhe emitimos.
Seja óxido e ela será.
Seja cor e ela será.
Seja um coelho saído de uma cartola e ela será.
Feita a nossa imagem e semelhança, é o que lhe cabe ser em sua verdade no mundo. Isto implica em que a repulsa de um material pelo outro, sua incapacidade de fusão, criada por uma ação voluntária imposta previamente pelo artista – impermeabilizando uma área, por exemplo, e colorido em seguida com uma tinta que será repelida - pode oferecer uma observação que leve em conta a forma das manchas que se cria. A forma da mancha não altera o fato de que a tinta foi repelida devido às suas propriedades físico químicas ou que a superfície da tela reteve apenas um pouco da cor aplicada, pela mesma razão, fato que já seria um dado técnico relevante para uma observação científica.
Porém, as formas criadas nesta relação de incompatibilidade material, consideradas dentro de uma ótica poética, filosófica ou mesmo metafísica, são muito relevantes para o artista, que a partir da interpretação subjetiva destas formas, poderá inferir significados específicos que alterem totalmente o conteúdo imagético da obra. Este é o exercício pleno da imaginação, incitado pela observação do comportamento material das tintas sobre a superfície da obra em vista de uma resposta que beira o animismo. E por que não?

1 comment:

  1. bellísimos todos estos lienzos nuevos.

    sabes? acabo de abrir un blog dedicado a la pintura. apenas acabo de empezar con él, así que aún le hacen falta algunos muebles. Por supuesto, te he incluído un enlace ;-)

    No dejes de visitarlo! Me gustaría saber la opinión de un profesional! el link es: http://lienzos.blogspot.com/

    ReplyDelete